• Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa

Programação » Sessão de Encontro com Autor

Código: P 018
Apresentação: Oral, segunda opção Pôster
Área Técnica: Córnea
Categoria / Classificação: Oftalmologia Cirúrgica
Região onde foi realizada a pesquisa: Sul

INSTITUIÇÃO ONDE FOI REALIZADO O TRABALHO:

CONEP:

AUTOR PRINCIPAL:

CO-AUTOR(ES):

TÍTULO:
CERATECTOMIA FOTOTERAPÊUTICA (PTK) EM DISTROFIA GRANULAR: ANÁLISE DE DOZE OLHOS

OBJETIVO:
Avaliar o emprego da ceractectomia fototerapêutica em olhos com distrofia corneana granular, analisando idade, sexo, ganhos de linha de visão na tabela de Snellen, valores de paquimetria e ocorrência de complicações no acompanhamento pós-operatório.

MÉTODO:
Trata-se de um estudo clínico, observacional, com delineamento transversal e coleta retrospectiva dos dados. Foram incluídos no estudo doze olhos de pacientes com distrofia corneana granular tratados com PTK inicialmente atendidos na clínica oftalmológica Oftalmocenter em Florianópolis/SC e submetidos ao procedimento cirúrgico na clínica oftalmológica Ophthalmolaser em Florianópolis a partir do ano de 2006. Associou-se à ablação a técnica "fluido-máscara", onde se aplica sobre a superfície corneana carboximetilcelulose a 0,5% à medida que se aplica o laser. O intuito é recobrir as irregularidades profundas da córnea, possibilitando uma ablação mais mais uniforme ao impedir que o laser atinja as áreas mais profundas do estroma ao mesmo tempo em que as mais superficiais.

RESULTADOS:
A totalidade dos pacientes estudados apresentou melhora da acuidade visual, em média de 0,4055 na escala decimal de acuidade visual e 4,75 linhas de ganho de visão, com a melhor correção. Em relação à paquimetria, observou-se uma diminuição da espessura corneana após a realização do procedimento de, em média, 95,5 μm. Dos doze olhos estudados, quatro apresentaram recidiva da distrofia corneana após uma média de 48,75 meses, sendo que dois desses olhos foram submetidos à nova ceratectomia fototerapêutica e também foram incluídos no estudo.

CONCLUSÕES:
A ceratectomia fototerapêutica resultou em melhora de visão em todos os pacientes neste estudo com uma espessura corneana residual dentro dos limites tolerados. Este procedimento é rápido, seguro e proporciona menor taxa de complicações quando comparado ao transplante de córnea penetrante.

Realização Realização - CBO
Organização/Comercialização Secretaria Executiva - ASSESSOR Secretaria Executiva - MAIS EVENTOS
Agência Oficial Agência de Viagens - Luck Viajens
Agência Web Agência Web - Inteligência Web