• Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa

Programação » Sessão de Encontro com Autor

Código: P 109
Apresentação: Oral, segunda opção Pôster
Área Técnica: Visão Subnormal
Categoria / Classificação: Oftalmologia Clinica
Região onde foi realizada a pesquisa: Sudeste

INSTITUIÇÃO ONDE FOI REALIZADO O TRABALHO:

CONEP:

AUTOR PRINCIPAL:

CO-AUTOR(ES):

TÍTULO:
ALTERAÇÕES OCULOMOTORAS EM PACIENTES COM BAIXA VISÃO

OBJETIVO:
Avaliar a prevalência e características das alterações oculomotoras em pacientes com baixa visão.

MÉTODO:
Realizou-se estudo transversal, em pacientes selecionados do setor de visão subnormal do Hospital São Geraldo, Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais, no período de junho a dezembro de 2013. Além de exame oftalmológico de rotina, todos os pacientes foram submetidos a avaliação motora de estrabismo. Os desvios oculares identificados foram caracterizados como esotropia, exotropia e hipertropia, medidos pelo método de Krimsky e classificados segundo sua magnitude em pequeno, médio e grande ângulos. Foram ainda verificados a presença de nistagmo e o tipo de fixação, se central ou excêntrica, através de visuscopia.

RESULTADOS:
Foram avaliados 24 pacientes que atenderam aos critérios de inclusão. A faixa etária variou de 8 a 64 anos, com predomínio do sexo feminino (66,6%). Do total, 17 apresentaram estrabismo (70,8%), sendo 11 com exotropia (45,8%), 6 com esotropia (25,0%) e 3 com desvio vertical associado ao horizontal (12,5%). Quanto ao ângulo do desvio, 76,5% eram de pequena a moderada magnitude e 23,5% tinham desvios maiores ou iguais a 40∆. A presença de nistagmo foi observada em 14 pacientes (58,3%). Nos 33 olhos em que foi possível verificar a área de fixação retiniana, apenas 4(12,1%) eram localizadas na fóvea (centrais).

CONCLUSÕES:
A prevalência de estrabismo e nistagmo nos pacientes com baixa visão foi elevada, sendo exotropia mais frequente que esotropia. A maioria dos pacientes apresentou fixação excêntrica. Assim, consideramos ser importante incluir a pesquisa de alterações oculomotoras na avaliação de visão subnormal, buscando um maior entendimento da resposta funcional e sucesso na reabilitação visual.

Realização Realização - CBO
Organização/Comercialização Secretaria Executiva - ASSESSOR Secretaria Executiva - MAIS EVENTOS
Agência Oficial Agência de Viagens - Luck Viajens
Agência Web Agência Web - Inteligência Web