• Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa

Programação » Relatos de Caso (Poster)

Código: RC 190
Área Técnica: Retina

INSTITUIÇÃO ONDE FOI REALIZADO O TRABALHO:

AUTOR PRINCIPAL:

CO-AUTOR(ES):

TÍTULO:
RETINOPATIA DE PURTSCHER: BAIXA ACUIDADE VISUAL RELACIONADA AO TRAUMA

OBJETIVO:
relatar 2 casos de Retinopatia de Purtscher (RP), uma angiopatia pós traumática rara; revisar a literatura a fim de discutir os controversos mecanismos fisiopatológicos envolvidos.

RELADO DE CASO:
(1)D.M., 11 anos, queixou baixa acuidade visual(BAV) em olho esquerdo (OE) após trauma automobilístico(TA) com colisão torácica em para-choque. Ao exame: sem alterações neurológicas ou fraturas, presença de equimose torácica. Acuidade visual(AV) 20/20 no olho direito e 20/70 em OE. Biomicroscopia(BIO) sem alterações. Fundoscopia(FO) do OE: microhemorragia macular e peripapilar. Angiografia(AGF) corroborou com o diagnóstico de RP. Após 1 mês de conduta expectante manteve AV e FO com alterações pigmentares de epitélio em mácula do OE. (2)J.S, 20 anos, história de TA com fratura de fêmur e tíbia esquerdos. Evoluiu com embolia gordurosa pulmonar, diminuição do sensório e internação em centro de terapia intensiva. Relatou BAV bilateral 3 dias após TA. Ao exame: Av:20/200 em ambos os olhos(AO). Bio: sem alterações AO. FO: mácula edemaciada, pálida, em aspecto pseudo-cereja, lesões em pólo posterior sugestivas de Purtscher fleckens (PF) AO. AGF corroborou com o diagnóstico de RP. Após 1 mês de conduta expectante houve melhora da AV(20/70//20/40), edema macular em reabsorção e diminuição do tamanho das PF AO.

CONCLUSÕES:
Acredita-se que a RP seja secundária a micro-êmbolos que levam à oclusão pré-capilar arteriolar, infarto e alteração da permeabilidade vascular retiniana. A origem destes êmbolos é contraditória e relaciona-se com a causa base. O mecanismo presumível no caso 1 seria embolia gasosa levando ao aumento súbito da pressão intracraniana e lesão endotelial hipertensiva. No caso 2 seria a embolia gordurosa associada à fratura de ossos longos. O tratamento da RP com uso de corticosteroides é controverso. A melhora do quadro pode levar vários meses, e uma baixa visual permanente pode ocorrer.

Realização Realização - CBO
Organização/Comercialização Secretaria Executiva - ASSESSOR Secretaria Executiva - MAIS EVENTOS
Agência Oficial Agência de Viagens - Luck Viajens
Agência Web Agência Web - Inteligência Web