• Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa

Programação » Relatos de Caso (Poster)

Código: RC 019
Área Técnica: Córnea

INSTITUIÇÃO ONDE FOI REALIZADO O TRABALHO:

AUTOR PRINCIPAL:

CO-AUTOR(ES):

TÍTULO:
PSEUDOPTERÍGIO: RELATO DE CASO

OBJETIVO:
Descrever um caso de Pseudopterígio.

RELADO DE CASO:
Sexo feminino, 49 anos, queixa principal “carne crescida” e redução da acuidade visual (AV) em ambos os olhos (AO); causado, segundo a mesma, por uso de um colírio (não especificou). Exame oftalmológico: AV com melhor correção no olho direito (OD) 20/100 e olho esquerdo (OE) 20/60. Biomicroscopia: pseudopterígio e pannus 360⁰ acometendo quase toda a córnea, com área livre de 3x3 mm no centro, atingindo o eixo visual do OD e pterígio nasal grau 3, atingindo metade do eixo visual, com pannus inferior das 4 às 6h e superior das 10 às 12h no OE. Impossibilidade de avaliação do restante do segmento anterior do OD, demais estruturas normais no OE. Fundoscopia impossibilitada em OD, sem alterações em OE. Exame de tomografia de coerência óptica (OCT): tecido aderente à córnea com invasão do estroma corneano em AO.A paciente encontra-se aguardando cirurgia de exérese do Pseudopterígio com enxerto de limbo autólogo juntamente com enxerto de membrana amniótica. O Pseudopterígio é causado por uma faixa de conjuntiva aderida a uma área comprometida da córnea, devido ao crescimento do tecido fibrovascular devido à resposta inflamatória após episódio agudo de trauma ocular, como queimadura, úlcera corneana (se marginal) e conjuntiva cicatrizante. A hipótese diagnóstica é de Pseudopterígio causado provavelmente por queimadura química. O principal diagnóstico diferencial é a Ceratite Marginal Superficial de Fuchs, que possui aparência semelhante, porém apresenta hiperemia conjuntival bilateral importante, episódios recorrentes de dor ocular, curso lento e crônico, além de acuidade visual preservada.

CONCLUSÕES:
Ao diagnosticar Pseudopterígio, é necessário diferenciá-lo das diversas causas da Ceratite Marginal Superficial de Fuchs. O tratamento proposto é a exérese cirúrgica do Pseudopterígio com enxerto de membrana amniótica e enxerto autólogo de limbo (indicado para lesões mais agressivas ou recorrentes).

Realização Realização - CBO
Organização/Comercialização Secretaria Executiva - ASSESSOR Secretaria Executiva - MAIS EVENTOS
Agência Oficial Agência de Viagens - Luck Viajens
Agência Web Agência Web - Inteligência Web