• Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa

Programação » Relatos de Caso (Poster)

Código: RC 095
Área Técnica: Neuroftalmologia

INSTITUIÇÃO ONDE FOI REALIZADO O TRABALHO:

AUTOR PRINCIPAL:

CO-AUTOR(ES):

TÍTULO:
SÍNDROME DE HORNER AGUDO COMO ÚNICO SINAL DE APRESENTAÇÃO DE DISSECÇÃO DA ARTÉRIA CARÓTIDA INTERNA

OBJETIVO:
A síndrome de Horner é caracterizada pela tríade formada por ptose palpebral, miose e anidrose, causada pela perda monocular da inervação simpática. Apresentamos um caso de síndrome de Horner agudo como único sinal de apresentação de dissecção de carótida interna.

RELADO DE CASO:
Paciente masculino, 64 anos, diabético, sem antecedentes oftalmológicos prévios. Após quadro de infecção de vias aéreas superiores, notou leve vermelhidão ocular associada a queda palpebral superior à esquerda. Apresentava acuidade visual corrigida de 1,0 em ambos os olhos, sem alterações a biomicroscopia ou fundo de olho. Motilidade ocular normal.
Fenda palpebral de 12 e 10 mm em olho direito (OD) e olho esquerdo (OE), respectivamente, sem sinais de fadiga à supraversão prolongada. A reação pupilar direta e consensual à luz apresentava-se normal, sem defeito aferente relativo. Em luz ambiente, apresentava pupilas com dimensões de 5.5 mm e 4,0 mm; com luz intensa, de 4,0 mm e 3,0 mm. No escuro, a pupilometria era de 6,0 mm e 4,0 mm e, ao estímulo de perto, de 3,5 mm e 2,5 mm. (OD e OE, respectivamente)
A hipótese diagnóstica foi a de síndrome de Horner aguda, confirmada pelo teste com instilação de fenilefrina a 1% em ambos os olhos, que resultou em elevação da pálpebra superior esquerda (originalmente em ptose) e na igualação do diâmetro das pupilas (5,0 mm).
Foi solicidada ressonância nuclear magnética (RNM) de crânio e angiorressonância magnética cervical, que demonstrou imagem compatível com dissecção de artéria carótida interna à esquerda, com provável acometimento do terceiro neurônio da via oculossimpática. O paciente foi encaminhado a neurologia.

CONCLUSÕES:
Chamamos a atenção para a importância do diagnóstico de síndrome de Horner agudo, nesse relato sendo o único sinal de apresentação de uma doença potencialmente letal, a dissecção de artéria carótida interna .

Realização Realização - CBO
Organização/Comercialização Secretaria Executiva - ASSESSOR Secretaria Executiva - MAIS EVENTOS
Agência Oficial Agência de Viagens - Luck Viajens
Agência Web Agência Web - Inteligência Web