• Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa

Programação » Relatos de Caso (Poster)

Código: RC 212
Área Técnica: Uveites / AIDS

INSTITUIÇÃO ONDE FOI REALIZADO O TRABALHO:

AUTOR PRINCIPAL:

CO-AUTOR(ES):

TÍTULO:
ENDOFTALMITE FÚNGICA ENDÓGENA: RELATO DE CASO

OBJETIVO:
Apresentar um caso de Endoftalmite fúngica endógena secundária a sepse após cirurgia de litotripsia. É uma doença rara, grave, cujo diagnóstico muitas vezes é tardio, devido falta de equipe oftalmológica em muitos hospitais da rede pública e privada.

RELADO DE CASO:
P.L. B,sexo masculino, 62 anos, diabético, hipertenso, procurou atendimento de urgência com queixa moscas volantes bilateralmente e fotofobia há um dia. Relatava ainda ter recebido alta hospitalar há uma semana após quadro de sepse fúngica confirmada pela hemocultura.AV SC: OD-0,6 OE: 0,6.Biomicroscopia: injeção ciliar leve, Po: 14/14 mmHg, córneas transparentes, câmara anterior formada, sem reação inflamatória/ flare.Mapeamento de retina: múltiplas lesões esbranquiçadas no pólo posterior bilateralmente, com margens bem definidas e ausência de vitreite.Ecografia B: vítreos transparentes, retinas aplicadas e nervos com escavação aparentemente preservada em ambos os olhos.Considerando a história pregressa do paciente, a hipótese diagnóstica foi de endoftalmite fúngica endógena. O paciente foi encaminhado para nova internação hospitalar e foi iniciado uso de antibioticoterapia intra vítrea e sistêmica (micafungina).O paciente foi acompanhado com exame clínico diário e múltiplas angiografias. Houve piora do quadro, com av de conta dedos a 1 metro em AO. Foi iniciada anfotericina B lipossomal por 14 dias e posteriormente fluconazol oral por 3 meses, com melhora dos sintomas. A AV final foi de CC 20/25 em AO.

CONCLUSÕES:
O diagnóstico de endoftalmite fúngica é baseado na história pregressa do paciente, queixas e fatores de risco. Todos os pacientes diagnosticados com sepse devem ser submetidos a exame oftalmológico durante a internação hospitalar, a fim de se detectar infecção ocular, instituir terapêutica adequada e tentar evitar danos visuais irreversíveis.

Realização Realização - CBO
Organização/Comercialização Secretaria Executiva - ASSESSOR Secretaria Executiva - MAIS EVENTOS
Agência Oficial Agência de Viagens - Luck Viajens
Agência Web Agência Web - Inteligência Web