• Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa

Programação » Relatos de Caso (Poster)

Código: RC 176
Área Técnica: Retina

INSTITUIÇÃO ONDE FOI REALIZADO O TRABALHO:

AUTOR PRINCIPAL:

CO-AUTOR(ES):

TÍTULO:
NEVO AMELANÓTICO DE CORÓIDE EXSUDATIVO – RELATO DE CASO.

OBJETIVO:
Descrever Relato de Caso de paciente com nevo de coróideamelanóticoexsudativo que desenvolveu descolamento de retina seroso em região macular do olho esquerdo e o tratamento desta complicação com Ranibizumabe

RELADO DE CASO:
Paciente M.V.F, 62 anos, sexo feminino, hipertensa, teve história de turvação visual e metamorfopsia em olho esquerdo (OE) de surgimento abrupto após realizar exercícios físicos em julho de 2012.
Ao exame inicial apresentava acuidade visual em olho direito de 20/20 e olho esquerdo 20/30 com correção. Ao exame biomicroscópico não havia alterações, porém à fundoscopia do olho esquerdo a paciente apresentava lesão peripapilar redonda, elevada e não pigmentada, sugestiva de nevo de coróide amelanótico.
Os exames complementares indicavam a presença de lesão elevada em coriorretina do olho esquerdo, exsudativa, promovendo descolamento seroso em região macular deste olho.
A paciente foi submetida a tratamento com Ranibizumabe obtendo melhora dos sintomas e do descolamento retiniano evidenciado em exames complementares.

CONCLUSÕES:
Nevos de coróide estão presentes em cerca de 5 a 10% da população caucasiana adulta. Na maioria dos casos são lesões assintomáticas encontradas em exames fundoscópicos de rotina localizados geralmente em pólo posterior. O nevo de coróide típico apresenta-se geralmente como uma lesão plana ou levemente elevada e pigmentada na cor marrom-acizentada e com margens pouco definidas. As formas hipomelanóticas e amelanóticas são incomuns e menos aparentes. Podem ainda estar associados a alterações na permeabilidade do epitélio pigmentar da retina, descolamentos serosos, drusas e pigmentos alaranjados na superfície. A natureza rara da lesão amelanótica e sua apresentação incomum com descolamento de retina seroso leva à discussão das formas de tratamento desta complicação podendo serem utilizadas drogas antiangiogênicas.

Realização Realização - CBO
Organização/Comercialização Secretaria Executiva - ASSESSOR Secretaria Executiva - MAIS EVENTOS
Agência Oficial Agência de Viagens - Luck Viajens
Agência Web Agência Web - Inteligência Web