• Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa

Programação » Relatos de Caso (Poster)

Código: RC 092
Área Técnica: Neuroftalmologia

INSTITUIÇÃO ONDE FOI REALIZADO O TRABALHO:

AUTOR PRINCIPAL:

CO-AUTOR(ES):

TÍTULO:
PARESIA DE III: COMPLICAÇÃO INCOMUM DE APLICAÇÃO FACIAL DE TOXINA BOTULÍNICA TIPO A

OBJETIVO:
O nervo oculomotor (NOM) constitui uma das mais complexas vias eferentes do sistema visual, sendo o responsável pela inervação de músculos importantes para a movimentação ocular e acomodação. Assim, os quadros de paresia e/ou paralisia do NOM constituem um dos déficits mais comumente encontrados na prática clínica. O objetivo deste trabalho é descrever um relato de paresia do NOM após aplicação de Toxina Botulínica tipo A (TBA).

RELADO DE CASO:
A.S.R., 76 anos, sexo feminino, relata miofasciculações espontâneas e vigorosas em hemiface direita, há cerca de três anos, iniciada no olho direito e estendendo-se de forma progressiva para toda hemiface ipslateral. Após falha de terapias medicamentosas, em junho 2011, foi indicada aplicação facial de TBA na região lateral e medial orbicular de 4/4 meses. A paciente evoluiu com melhora temporária e sem efeitos colaterais significativos. Na última aplicação, após cinco dias, evoluiu com queixas no olho direito de conjuntiva hiperemiada, lacrimejamento, blefaroptose, intensa fotofobia e cefaléia. Ao exame neurológico, notou-se blefaroptose à direita associada à midríase paralítica com paralisia da acomodação e reflexos fotomotores direto e consensual ausentes, além de versões normais

CONCLUSÕES:
Na oftalmologia, uma das principais indicações de aplicação da TBA é o blefaroespasmo. Dentre as complicações mais frequentes está a ptose de pálpebras e sobrancelhas por paralisia do músculo elevador da pálpebra, ocorrendo em menos de 5% dos casos e, com uma duração de aproximadamente duas semanas. No caso descrito, ocorreu paresia do NOM por acometimento parcial do ramo superior, além de acometimento das fibras pupilomotoras. Portanto, a paciente apresentou um quadro de midríase paralítica associada a blefaroptose, evoluindo com melhora lenta, porém progressiva há mais de um mês, sem necessidade de terapias adicionais.

Realização Realização - CBO
Organização/Comercialização Secretaria Executiva - ASSESSOR Secretaria Executiva - MAIS EVENTOS
Agência Oficial Agência de Viagens - Luck Viajens
Agência Web Agência Web - Inteligência Web