• Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa

Programação » Relatos de Caso (Poster)

Código: RC 041
Área Técnica: Estrabismo

INSTITUIÇÃO ONDE FOI REALIZADO O TRABALHO:

AUTOR PRINCIPAL:

CO-AUTOR(ES):

TÍTULO:
AMILOIDOSE ORBITÁRIA COM ACOMETIMENTO DE MÚSCULO RETO INFERIOR E DIPLOPIA: RELATO DE CASO

OBJETIVO:
Descrever um caso de amiloidose orbitária, com ênfase nas alterações da motilidade ocular.

RELADO DE CASO:
Paciente de 43 anos, masculino, mulato, marceneiro, procedente de Rio Branco (AC), relatava diplopia binocular há 5 anos, “olho direito (OD) saltado” há 1 ano, hipertensão arterial e hipotireoidismo.
Ao exame inicial, apresentava proptose à direita, com limitação de supra e infraduções e diplopia. A tomografia de órbitas evidenciou grande massa em região de músculo reto inferior direito (RI).
A biópsia desta massa evidenciou depósito de material amiloide, corando com vermelho Congo, compatível com diagnóstico de amiloidose. A investigação sistêmica não mostrou acometimento de outros órgãos (medula óssea, gordura subcutânea, coração,rins e fígado). Foi submetido a descompressão orbitária inferior, com leve melhora da proptose.
Como mantinha diplopia em supra e infraversões, foi avaliado pelo Setor de Estrabismo. Apresentava acuidade visual para longe sem correção de 1,0 em ambos olhos, baixa ametropia e limitação importante da movimentação do OD em infra e supraduções. Em posição primária do olhar, observava-se hipertropia de OD de 42DP, que aumentava em infraversão e diminuía em supraversão até se tornar uma hipotropia deste olho, confirmando a limitação da motilidade do OD e justificando a posição viciosa de cabeça com mento deprimido, para evitar diplopia.
Durante a cirurgia, observou-se o RID infiltrado e envolvido por massa amorfa. Realizada ressecção de RID de 3,0mm (máximo possível). No pós-operatório recente, paciente apresentava-se sem queixas de diplopia em posição primária e infraversão.

CONCLUSÕES:
Amiloidose orbitária é rara e geralmente localizada, sem padrão claro de acometimento dos músculos extraoculares. O presente relato é compatível com a literatura disponível e ilustra a possibilidade de melhora da sintomatologia do paciente com a abordagem cirúrgica.

Realização Realização - CBO
Organização/Comercialização Secretaria Executiva - ASSESSOR Secretaria Executiva - MAIS EVENTOS
Agência Oficial Agência de Viagens - Luck Viajens
Agência Web Agência Web - Inteligência Web