• Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa

Programação » Relatos de Caso (Poster)

Código: RC 130
Área Técnica: Plástica Ocular

INSTITUIÇÃO ONDE FOI REALIZADO O TRABALHO:

AUTOR PRINCIPAL:

CO-AUTOR(ES):

TÍTULO:
LINFOMA NÃO-HODGKIN DA GLÂNDULA LACRIMAL: UM CASO RARO

OBJETIVO:
Relatar o acometimento raro da glândula lacrimal por linfoma não-Hodgkin sistêmico.

RELADO DE CASO:
Paciente sexo feminino, 35 anos, com queixa de tumoração na pálpebra superior (PS) do olho direito (OD) há cinco meses. À ectoscopia, aumento volumétrico do terço médio e temporal da PS do OD e, à palpação, lesão nodular, móvel e indolor. Retornou com ressonância nuclear magnética que mostrou aumento bilateral das glândulas lacrimais, maior no OD. Ao exame físico constatou-se também aumento bilateral das glândulas parótidas e linfadenopatia cervical. À biomicroscopia, ceratite punctata interpalpebral em ambos os olhos. Paciente referiu febre nos últimos dois meses e xerostomia. Relatou ainda ter iniciado investigação com hematologista há um ano devido ao surgimento de nódulos- pescoço, tireóide, pulmão e região hilar- sem conclusão diagnóstica. Prosseguiu-se à investigação da síndrome de Mikulicz. Hemograma, bioquímica, perfil tireoidiano e anticorpo anti-tireoperoxidase sem alterações. Enzima conversora da angiotensina sérica e cálcio urinário normais. Tomografia computadorizada (TC) do pescoço com aumento volumétrico das glândulas parótidas e linfonodomegalias em cadeias cervical e submandibular bilateralmente. TC do tórax sugestiva de doença linfoproliferativa com acometimento secundário do parênquima pulmonar. Biópsia da glândula lacrimal evidenciou denso infiltrado linfoepitelióide e plasmocitário e ausência de estrutura granular. Imuno-histoquímica: linfoma B da zona marginal extranodal tipo MALT. Atualmente paciente encontra-se em quimioterapia e apresenta regressão total das alterações nos exames físico e biomicroscópico.

CONCLUSÕES:
O diagnóstico de patologias linfoproliferativas sistêmicas pode partir da avaliação oftalmológica. Esse fato alerta para a importância de uma anamnese detalhada na abordagem das afecções orbitárias visto que, diante do caráter heterogêneo destas, o diagnóstico pode representar um desafio.

Realização Realização - CBO
Organização/Comercialização Secretaria Executiva - ASSESSOR Secretaria Executiva - MAIS EVENTOS
Agência Oficial Agência de Viagens - Luck Viajens
Agência Web Agência Web - Inteligência Web