• Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa

Programação » Relatos de Caso (Poster)

Código: RC 227
Área Técnica: Uveites / AIDS

INSTITUIÇÃO ONDE FOI REALIZADO O TRABALHO:

AUTOR PRINCIPAL:

CO-AUTOR(ES):

TÍTULO:
TUBERCULOSE OCULAR - RELATO DE TRES CASOS

OBJETIVO:
Objetivo: Relatar três casos de tuberculose ocular presumida e comentar aspectos do quadro clínico variado e rotina diagnóstica. A Tuberculose é causada pelo Mycobacterium tuberculosis que por séculos é a micobactéria que mais causou morbidade e mortalidade nos seres humanos. A Tuberculose Ocular Primária ocorre quando o olho é a porta de entrada no corpo e é rara. A Tuberculose Ocular Secundária, na maioria dos casos, é definida como infecção resultante da disseminação de estruturas vizinhas, sendo a pulmonar a principal. O diagnóstico de Tuberculose Ocular é clínico, baseado na história sugestiva de Tuberculose sistêmica ativa, lesões oculares características e evidências laboratoriais de tuberculose.

RELADO DE CASO:
Relato de Caso: Caso 1 NLCR, 48 anos, acuidade visual conta dedos a 3m no OE, PPD 30mm, apresentando papilite e periflebite justadiscal. História de tuberculose pulmonar ocorrida há 20 anos. Caso 2 LSC, 22 anos, diminuição da acuidade visual no OE. A fundoscopia revelou três pontos brancos exsudativos perifoveais, sugestivos de coroidite, PPD 22mm e Radiografia de tórax mostrando tuberculose ativa. Caso 3 ESMC, 35 anos, acuidade visual conta dedos a 1m no OE. Apresentava iridociclite crônica em OE, ausência lesões posteriores, PPD: 15mm, tratamento prévio para tuberculose pulmonar há 10 anos. Todos os casos foram tratados com esquema para tuberculose, com inativação das lesões oculares.

CONCLUSÕES:
Os casos representaram tuberculose ocular secundária, confirmando o sítio pulmonar como sendo o mais comum. O quadro clínico ocular pode ser variado acometendo tanto segmento anterior quanto posterior, assim como anexos oculares e órbita. O exame PPD de todos os pacientes foi reator forte, auxiliando muito no diagnóstico. Devido ao quadro clínico variado, a Tuberculose deve ser sempre pensada nos casos de lesão ocular com PPD reator forte e deve ser tratada precocemente para evitar danos severos aos olho.

Realização Realização - CBO
Organização/Comercialização Secretaria Executiva - ASSESSOR Secretaria Executiva - MAIS EVENTOS
Agência Oficial Agência de Viagens - Luck Viajens
Agência Web Agência Web - Inteligência Web