• Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa

Programação » Relatos de Caso (Poster)

Código: RC 134
Área Técnica: Plástica Ocular

INSTITUIÇÃO ONDE FOI REALIZADO O TRABALHO:

AUTOR PRINCIPAL:

CO-AUTOR(ES):

TÍTULO:
PTOSE INTERMITENTE SECUNDÁRIO A LÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO: RELATO DE CASO

OBJETIVO:
Blefaroptose é um termo que se refere ao posicionamento anormalmente baixo da pálpebra superior. Uma forma de classificação é pela sua etiologia ou período de instalação: congênita ou adquirida, mecânica, traumática, miogênica ou neurogênica. O tratamento geralmente é cirúrgico.
Casos de lúpus eritematoso sistêmico (LES), quando sem associação com outras patologias, raramente se apresentam com ptose isoladamente. O objetivo é relatar um caso de LES se apresentando com ptose intermitente isolada.

RELADO DE CASO:
I.F.R.P., 23 anos, feminino, compareceu à Fundação Altino Ventura (FAV) em setembro de 2013 com queixa de blefaroptose recorrente em olho esquerdo há 2 dias. Nos últimos doze meses, teve outros cinco episódios, todos à esquerda, sem fatores precipitantes, sem horários de piora e com início e remissão espontâneos em média de três dias.
Ao exame apresentou blefaroptose de 3 mm à esquerda, reflexo de Bell reduzido bilateral e excursão do músculo elevador da pálpebra superior a 15 mm em ambos olhos. Sem demais anormalidades.
A clínica médica afastou hipóteses de tireoidopatias, tumores, distúrbios neurológicos e miastenia gravis e iniciou investigação para causas reumatológicas.
Após dois meses, a paciente foi internada para investigação de poliartralgia e confirmada a hipótese de LES. No momento, está em tratamento com reumatologista e em acompanhamento com equipe da FAV, sem recidivas.

CONCLUSÕES:
Na LES, as manifestações podem envolver as várias estruturas oculares, desde a dinâmica da movimentação ocular à alterações retinianas. A patogenia da ptose nesses casos é incerta, mas há possível associação entre componentes neurogênico e miogênico.
Cerca de 30% dos pacientes com LES podem apresentar coexistência de outras doenças autoimunes, sendo a principal a síndrome de Sjogren. A associação com Miastenia gravis é rara.
LES deve ser lembrado no diagnóstico diferencial em casos de ptose isolada intermitente.

Realização Realização - CBO
Organização/Comercialização Secretaria Executiva - ASSESSOR Secretaria Executiva - MAIS EVENTOS
Agência Oficial Agência de Viagens - Luck Viajens
Agência Web Agência Web - Inteligência Web