• Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa

Programação » Relatos de Caso (Poster)

Código: RC 216
Área Técnica: Uveites / AIDS

INSTITUIÇÃO ONDE FOI REALIZADO O TRABALHO:

AUTOR PRINCIPAL:

CO-AUTOR(ES):

TÍTULO:
NEURORETINITE POR DOENÇA DA ARRANHADURA DO GATO

OBJETIVO:
Objetivo:
Relato de caso de Doença da arranhadura do gato cursando com neuroretinite e lesão brancacenta em olho contralateral.

RELADO DE CASO:
Relato de caso:

Paciente de 14 anos, sexo feminino, procedente e residente em Mariana – MG. Atendida na urgência da Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte com quadro de baixa acuidade visual em olho esquerdo há 20 dias após quadro gripal de resolução espontânea há 40 dias.
Sem comorbidades, uso de medicação ou alergias. História de contato com gato, dorme na mesma cama que a paciente.
Ao exame apresentava acuidade visual com correção 20/20 OD e CD a 50,0cm em OE.
Exame oftalmológico:
Olhos calmos, córneas claras e ausência de acometimento do segmento anterior. Fundoscopia apresentando neuroretinite em olho esquerdo e lesão de retinite em média periferia de olho direito.¬¬¬
Eritrograma e leucograma sem alterações. VHS 56mm/h. Glicose 80mg/dl. PCR 1.07 mg/dl. Toxoplassmose IgG reagente e IgM não reagente. Sorologia para Bartonella henselae positiva. VDRL não reator.
Tratamento com Ciprofloxacino oral na dose de 500mg 8/8h. Iniciada prednisona 30mg dia uma semana após o início da antibioticoterapia. Melhora da acuidade visual de olho esquerdo para 20/30 após 14 dias de tratamento.

CONCLUSÕES:
Conclusão:
A bartolenose ou doença da arranhadura do gato é uma infecção sistêmica causada pelo bastonete gram negativo Bartonela henselae. Transmissão ocorre através da mordida ou arranhadura do animal infectado, geralmente o gato.
O envolvimento ocular da doença da arranhadura do gato envolve 5 a 10% dos casos. Cursa com síndrome oculoglandular de Parinaud e Neuroretinite.
O tratamento permanece controverso já que a doença é frequentemente autolimitada com grande parte dos pacientes evoluindo de forma satisfatória sem tratamento. Resaltasse cada vez mais o tratamento com antibiótico e corticosteróide sistêmico tem sido preconizado.

Realização Realização - CBO
Organização/Comercialização Secretaria Executiva - ASSESSOR Secretaria Executiva - MAIS EVENTOS
Agência Oficial Agência de Viagens - Luck Viajens
Agência Web Agência Web - Inteligência Web