• Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa

Programação » Relatos de Caso (Poster)

Código: RC 226
Área Técnica: Uveites / AIDS

INSTITUIÇÃO ONDE FOI REALIZADO O TRABALHO:

AUTOR PRINCIPAL:

CO-AUTOR(ES):

TÍTULO:
TOXOCARÍASE OCULAR: RELATO DE CASO

OBJETIVO:
O objetivo deste relato é ilustrar um caso de toxocariase, monstrando os principais aspectos da doença. Causada pelo Toxocara canis, pode ocasionar as síndromes de larva migrans visceral, caracterizada pela migração prolongada de larvas pelos órgãos internos, incluindo o olho.

RELADO DE CASO:
L.F.S, 14 anos, sexo feminino, estudante, proveniente de São Paulo, procurou o serviço de oftalmologia do Instituto CEMA em junho de 2013 referindo baixa de acuidade visual e dor no olho direito há 6 meses. Negava antecedentes patológicos. Refere contato intimo com cão em sua residência. Ao exame apresentava acuidade visual sem correção de 0,3 em OD e 1,0 em OE. Refração: OD: -0,25 175° (0,3) e OE: -0,75 180° (1,0). Teste de cobertura/prisma-cobertura: XT15Δ D/E 10Δ em OD. A biomicroscopia sem alterações e tonometria de 14mmHg em ambos olhos. Fundoscopia apresentava OD tumoração brancoacenta, protusa perimacular de cerca de 1 DP, com trave vítrea ligando a papila, sem mais alterações. Exame de OE dentro da normalidade. Hemograma: leucocitos 5100/eosinófilos 6%, sorologia para Toxocara canis IgG+/IgM-;Toxoplasmose IgG+/IgM- ; VDRL e FTAABs não reagente; PPD<4mm (não reagente), EPF: negativo. Realizado tratamento com albendazol e seguimento no ambulatório de estrabismo.

CONCLUSÕES:
A toxocariase é uma importante causa de uveíte infecciosa em nosso meio, sendo frequente o acometimento unilateral e em crianças, isto se deve ao fato de geofagia e o contato íntimos com cães. As queixas visuais estão relacionadas com baixa de visão, leucocoria e estrabismo. A endoftalmite é a forma mais grave de apresentação. O diagnostico definitivo é feito pela demonstração da larva em fluidos oculares e necropsia, então o diagnótico na maioria dos casos é presumido, baseado em dados clínicos-epidemiológicos, exames laboratoriais e de imagem. Utilizam-se anti-helminticos associado a corticóide. O tratamento cirúrgico é utilizado na presença de complicações.

Realização Realização - CBO
Organização/Comercialização Secretaria Executiva - ASSESSOR Secretaria Executiva - MAIS EVENTOS
Agência Oficial Agência de Viagens - Luck Viajens
Agência Web Agência Web - Inteligência Web