• Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa

Programação » Relatos de Caso (Poster)

Código: RC 017
Área Técnica: Córnea

INSTITUIÇÃO ONDE FOI REALIZADO O TRABALHO:

AUTOR PRINCIPAL:

CO-AUTOR(ES):

TÍTULO:
PERFURAÇÃO DE CÓRNEA RECEPTORA EM PACIENTE SUBMETIDO A CERATOPLASTIA PENETRANTE COM USO DE RANIBIZUMAB SUBCONJUNTIVAL

OBJETIVO:
Descrever uma complicação inesperada de pós-operatório de paciente jovem submetido a ceratoplastia penetrante de alto risco associada ao uso de antiangiogênico subconjuntival.

RELADO DE CASO:
Homem, 27 anos, vítima de queimadura térmica ocular bilateral em jan de 2013, apresentou-se no serviço, 6 meses após o trauma, com queixa de baixa acuidade visual (percepção luminosa) em ambos os olhos. Ao exame apresentava leucoma central denso e neovascularizado em AO associado a descemetocele e ultrafiltração em olho esquerdo. Indicado transplante de córnea tectônico de urgência para OE. No dia anterior ao procedimento, foi realizada injeção subconjuntival de 0,23 ml de Ranibizumab 10mg/ml(Lucentis® - Novartis) a aproximadamente 3mm do limbo divididos nos quatro quadrantes corneanos. Na CPP, durante a trepanação da córnea receptora, observou-se sinéquias anteriores importantes dificultando a retirada da córnea. Ao final do procedimento, a câmara anterior estava formada e a ferida não apresentava Seidel. Foi prescrito gatifloxacino (Zymar® - Allergan) por 10 dias e acetato de prednisolona 1% (Pred Fort® - Allergan) de 2/2h em regime decrescente. Paciente teve boa evolução inicial com regressão importante da área de neovascularização. Após cinco semanas, apresentou, porém, afinamento e abaulamento importante da córnea receptora em região temporal superior de caráter progressivo. Realizada tarsorrafia temporal de urgência como tentativa de controle, mas paciente evoluiu com perfuração local.

CONCLUSÕES:
O afinamento corneano do leito receptor é uma complicação incomum das ceratoplastias. O uso atual da terapia antiangiogênica em modelos animais e humanos de córneas neovascularizadas apontam o procedimento como eficaz e seguro, entretanto, casos como o descrito acima, podem sugerir uma complicação de uma terapia que ainda é nova.

Realização Realização - CBO
Organização/Comercialização Secretaria Executiva - ASSESSOR Secretaria Executiva - MAIS EVENTOS
Agência Oficial Agência de Viagens - Luck Viajens
Agência Web Agência Web - Inteligência Web