• Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa
  • Imagem ilustrativa

Programação » Relatos de Caso (Poster)

Código: RC 224
Área Técnica: Uveites / AIDS

INSTITUIÇÃO ONDE FOI REALIZADO O TRABALHO:

AUTOR PRINCIPAL:

CO-AUTOR(ES):

TÍTULO:
RETINOPATIA ASSOCIADA AO CÂNCER (CAR)

OBJETIVO:
Descrever as manifestações clinicas da perda visual subaguda como manifestação paraneoplásica em paciente com diagnóstico de carcinoma de mama posterior ao quadro ocular, sugerindo o diagnóstico de retinopatia associada ao câncer

RELADO DE CASO:
Paciente de 44 anos, sexo feminino, procurou o serviço com baixa de acuidade visual (BAV) progressiva e simétrica em ambos os olhos (AO) há 4 anos, associada a episódios de olho vermelho e ardência. Na avaliação inicial, sua AV era 20/60 em AO. O exame de fundo de olho demonstrou leve atenuação arteriolar. Na AFG observou-se hiperfluorescência com vazamento perivascular difuso em AO, caracterizando uma vasculite difusa. Na SD-OCT observou-se fragmentação dos segmentos interno/externo dos fotorreceptores. A campimetria visual de Goldman mostrou um escotoma anular em AO. O ERGct demonstrou diminuição da amplitude das ondas. Em 2011 foi avaliada para possíveis causas de vasculite. Nesta ocasião foram detectados nódulos hepáticos e torácicos incaracterísticos na tomografia computadorizada do tórax e abdome, nódulos de mama benigos (ACR BI-RADS 3) na mamografia. Em julho 2012 fez nova mamografia que detectou nódulos de 1,0x0,8x0,8cm sugestivos de carcinoma na mama direita (ACR BI-RADS 4). Em setembro 2012 uma biopsia de mama direita revelou um carcinoma ductal in situ, sendo em seguida submetida à mastectomia radical à direita com linfadenectomia. Pesquisa de auto-anticorpos contra proteínas da retina não foi possível.
O diagnóstico de CAR foi baseado nas manifestações clinicas de BAV progressiva, escotoma anular, alterações no ERGct, interrupção dos segmento interno/externo dos fotorreceptores e a presença de câncer de mama. Atualmente paciente está em uso de prednisona 40mg/d

CONCLUSÕES:
CAR tem prevalência desconhecida porém deve ser suspeitada nos casos com achados oculares discretos em desproporção ao déficit visual e ERG-CT. O quadro ocular pode anteceder em meses a anos o diagnóstico da malignidade

Realização Realização - CBO
Organização/Comercialização Secretaria Executiva - ASSESSOR Secretaria Executiva - MAIS EVENTOS
Agência Oficial Agência de Viagens - Luck Viajens
Agência Web Agência Web - Inteligência Web